Sintomas

O linfoma de Hodgkin pode surgir em qualquer parte do corpo e o sintoma inicial mais comum é um aumento indolor dos linfonodos (ou ínguas) no pescoço, porção superior do peito, interior do tórax, axilas, abdome ou virilha.

Além dos sintomas acima, o linfoma não-Hodgkin também pode apresentar manifestações no estômago, pele, cavidade oral, intestino delgado e sistema nervoso central (SNC). É menos frequente, mas também pode se manifestar na região próxima às amídalas.

Principais sintomas do linfoma:

febre-persistente
Febre persistente ou recorrente (que vai e volta, ou não passa), sem motivo aparente
febre-persistente
Coceira persistente por todo o corpo
febre-persistente
Aumento de gânglios do pescoço, axila ou virilha (geralmente sem dor)
febre-persistente
Suores noturnos
febre-persistente
Cansaço e mal estar
febre-persistente
Perda de peso significativa e falta de apetite

Os sintomas da doença podem variar também de acordo com a sua localização. Veja a seguir.

  • Quando se desenvolvem nos linfonodos superficiais: como estão próximos à pele, no pescoço, axilas e virilhas, os sintomas incluirão o aparecimento de gânglios (ínguas) aumentados e indolores nestes locais;
  • Quando o linfoma ocorre na região do tórax: os sintomas podem ser tosse, falta de ar e dor torácica;
  • Quando se apresenta na pelve e no abdômen: os sintomas podem ser sensação de distensão abdominal (inchaço) após as refeições;
  • Raramente, a doença pode começar nos ossos, pulmões ou pele. Nesses casos, os pacientes costumam apresentar sintomas como dor óssea, tosse, dor no peito, erupções ou nódulos na pele, respectivamente.

É importante lembrar que na maioria dos casos não será linfoma, podendo ser gripe, resfriado, alergias, diabetes, entre outras causas. Em caso de dúvida, procure um profissional de saúde para ajudá-lo. Não deixe o tempo passar!